quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

ADAB PUBLICA REGULAMENTAÇÃO PARA AGROINDÚSTRIAS DE PEQUENO PORTE NA BAHIA


Imagem relacionada

Estabelecimentos com área de produção útil de até 250 m²


O regulamento técnico da agroindústria de pequeno porte foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça-feira (27), instituindo medidas que normatizam a agroindustrialização de produtos de origem animal e fortalecendo a agricultura familiar da Bahia.

O regulamento foi publicado pela Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) São estabelecimentos agroindustriais de pequeno porte, estabelecimentos de agricultores familiares, de forma individual ou coletiva, que dispõe de instalações para abate ou industrialização de animais produtores de carnes, processamento de pescado, de leite, ovos e produtos das abelhas ou seus derivados.

De acordo com as novas normas específicas de inspeção e a fiscalização sanitária, passam a ser reconhecidos estabelecimentos com área útil construída de até 250 metros quadrados.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

FEIRA DE MUDAS EM ILHEUS


 123.png

Uma boa oportunidade de negócios

.
O Instituo Biofábrica de Cacau, estará realizando no próximo dia 28 (quinta feira) , Feira de Mudas, entre estas estão cacau, goiaba, banana, abacaxi, mandioca e plantas nativas da região.

Um grande incentivo a quem queira produzir e valorizar seus investimentos no agronegócio.

Visite e faça um grande negocio.
Por: Isaac Roberto de Castro

sábado, 23 de fevereiro de 2019

"INCRA ROMPE COM MST E ENCERRA DIÁLOGO COM LÍDERES SEM-TERRA”

A ordem: "não recebam mais entidades ou representantes “que não possuam personalidade jurídica".


Memorando do ouvidor agrário nacional orienta superintendências do órgão a não negociar com entidades ou representantes que não tenham “personalidade jurídica”

O novo ouvidor agrário nacional do INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária), o coronel do Exército João Miguel Souza Aguiar Maia de Sousa, enviou memorando-circular nesta quinta-feira (21) a todas as superintendências do órgão com a orientação de que seus chefes subordinados não recebam mais entidades ou representantes “que não possuam personalidade jurídica”, caso do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra).
               
No mesmo memorando, o ouvidor afirmou que “não deverão ser atendidos invasores de terras (estes devem ser notificados conforme a lei)”. Na prática, a circular, chamada de “recomendação”, representa o rompimento de diálogo do Incra com o MST. O coronel pede que a orientação seja repassada pelos superintendentes a todos os chefes de divisão e executores das unidades do órgão no país.

Egresso da área da inteligência militar, o coronel foi escolhido para o cargo pelo novo presidente do INCRA, o general da reserva João Carlos de Jesus Corrêa. No memorando, o coronel diz que a medida é tomada “em consonância com as diretrizes emanadas pela presidência do Incra”. A reportagem indagou ao presidente do Incra e sua assessoria se ele tinha conhecimento ou apoiava a orientação do ouvidor, mas não houve resposta até o fechamento deste texto.

A assessoria do INCRA encaminhou uma resposta do próprio ouvidor agrário. Segundo o coronel, “o interessado” que procura as unidades do Incra “só representa a si mesmo, desde que devidamente identificado, na defesa de seus interesses, a não ser que possua procuração para fazê-lo em nome de outrem”. Esses interessados, segundo o ouvidor, “poderão ser recebidos e ouvidos, conforme previsão contida na legislação específica”.

O ouvidor disse ainda, pela assessoria do Incra, que “pretende regulamentar, no mais curto prazo, os procedimentos de audiência concedidas a particulares por agentes públicos em exercício na autarquia”. Por fim, o ouvidor afirmou que “a manifestação do interesse do cidadão é livre e deve ser feita pelos canais que os órgãos públicos mantêm para a comunicação direta e a manutenção do diálogo com a população”.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

ASSOCIAÇÃO DO CAJUEIRO I RECEBE DIA DE CAMPO.



Mudas de Abacaxi Vitória selecionadas

A Associação do Cajueiro I, localizada no Município de Una, recebeu hoje (19/02), a visita técnica da Biofábrica de Cacau, ADAB, Prefeitura Municipal de Una, Secretário de Agricultura e do SAFER Ilhéus.

Inicialmente foi apresentada a variedade de Abacaxi Vitória, espécie esta desenvolvida pela Embrapa do Espírito Santo, e trazida para o estado da Bahia, onde alguns agricultores já cultivam em grande escala, e tem um bom aproveitamento comercial.

Técnicos da ADAB apresentaram e colocaram os benefícios desta variedade, seja no manejo, como na produtividade por hectare plantado. Alem da teoria foram feitos plantios “in loco”.

O Presidente da Associação e seus associados mostraram grande interesse em tudo que foi explanado, e satisfeitos com as iniciativas que estão sendo feitas,para a evolução da agricultura familiar na região.

Fica os agradecimentos a Biofábrica de Cacau, na pessoa do Coordenador Mauricio Galvão, que disponibilizou as mudas, a ADAB por deslocar um técnico especialista na cultura do abacaxi, da Prefeitura Municipal de Una, representada pelo Vice Prefeito / Sec. de Agricultura José Nildo e Enghª Agrônoma Municipal Rai, e o SAFER ILHÉUS.
Por: Isaac Roberto de Castro   


















segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

SAFER ILHÉUS REALIZA DIA DE CAMPO.


Espécie de abacaxi é três vezes mais lucrativo


O SAFER , a Biofábrica de Cacau e o CAR (Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional), estarão realizando nesta terça feira (19/02), nas Associações do Cajueiro I e II, Município de Una, mais um Dia de Campo, a importância é promover a comunicação entre produtores rurais, técnicos agrícolas, lojas agropecuárias e pesquisadores.

Para eles, o Dia de Campo é extremamente efetivo no sentido de difundir novidades em termos de tecnologia, criar condições e oportunidades de planejamento de safras e alternativas mais sustentáveis, aumentar a rentabilidade e a produtividade e, por fim, fortalecer a agricultura.

Desta parceria surge a esperança de dias melhores para aquela Comunidade, o SAFER estará dando todo suporte e acompanhamento, durante e depois da colheita,  auxiliando na comercializando destes produtos, tanto na região, como fora do Estado, ou seja, contatando CEASA, CEAGESP e outros mercados. Assim como trazendo para os agricultores inovações capazes de agregar mais valores aos seus produtos, como produtos semi processados, artesanais, etc..

Antecipadamente o SAFER agradece aos parceiros Mauricio Galvão e Abiel Santos, ambos engajados no nosso projeto de qualificação e reconhecimento dos agricultores familiares da região. Por Isaac Roberto de Castro

domingo, 10 de fevereiro de 2019

PORTARIA ALTERA EMISSÃO DE DECLARAÇÃO DE APTIDÃO AO PRONAF (DAP)

Validade das declarações de aptidão ao Pronaf volta a ser de dois anos.


A Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Tereza Cristina, assinou portaria alterando o prazo de validade da Declaração de Aptidão (DAP) ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), que passa de um para dois anos. Essa medida estava entre as metas anunciadas para os primeiros 100 dias do Governo Federal.

Para ver a portaria Clique aqui

De acordo com a ministra, a partir da publicação  no Diário Oficial da União (DOU), as DAPs ativas permanecem assim por dois anos, a contar da emissão até o decurso do prazo. “Da forma como estava a norma, seriam afetados cerca de 2,5 milhões de registros, gerando demanda por novas DAPs incompatível com a capacidade de emissão da rede”, afirmou. Foi evitada, conforme explicou, a possibilidade de colapso no sistema, o que prejudicaria agricultores familiares e cooperativas da agricultura familiar em todo o país.

A nova portaria altera a publicada em 24 de agosto do ano passado, que havia fixado a validade da DAP até o próximo dia 27 de fevereiro e o prazo para a emissão em um ano.

A DAP funciona como carteira de identidade do agricultor familiar e dá acesso as linhas de crédito rural do Pronaf, aos programas de compras institucionais, como a Aquisição de Alimentos (PAA) e o de Alimentação Escolar (PNAE), além da Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), o Programa Garantia Safra e o Seguro da Agricultura Familiar, além de outras 15 políticas públicas.

O secretário de Agricultura Familiar do Mapa, Fernando Schwanke, disse que ainda neste ano a secretaria fará a migração do atual sistema de DAPs para a do Cadastro da Agricultura Familiar (CAF), mais completo, utilizando outras bases de dados existentes, o que diminuirá o risco de fraudes nas suas emissões.

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

PRODUÇÃO DE FRUTAS E HORTALIÇAS NO BRASIL DESTACA-SE PELA GERAÇÃO DE EMPREGOS

A cada 10 hectares cultivados com frutas e/ou hortaliças, são cerca de 25 pessoas empregadas


A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e a Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (ABRAFRUTAS) e o programa Hortifruti Saber & Saúde lançaram o inédito relatório Cenário Hortifruti Brasil, que traz o panorama nacional da produção de frutas e hortaliças, responsáveis por grande parte dos alimentos consumidos todos os dias no País. Realizado com base em análise de dados, entrevistas com profissionais do setor e métodos estatísticos, o levantamento investigou 24 cultivos e concluiu que são produzidas cerca de 37 milhões de toneladas anuais desses tipos de alimentos, dos quais entre 3% a 5% são exportados.

Entre os destaques do estudo, chamam a atenção os números relacionados à geração de emprego. Na fruticultura, por exemplo, são 6 milhões de trabalhadores em uma área de 2,4 milhões de hectares. Já na olericultura (área da horticultura que abrange a exploração de hortaliças e legumes), são 7 milhões de empregos distribuídos em aproximadamente 2,6 milhões de hectares. Isso significa que, a cada 10 hectares cultivados com frutas e/ou hortaliças, são cerca de 25 pessoas empregadas. A título de comparação, na cultura da soja, por exemplo, a cada 10 hectares, é gerado 1 posto de trabalho (dado obtido pela divisão da área plantada com a oleaginosa, 34 mis/ha, por 3,8 empregos gerados pela atividade). Isso significa que, além de um relevante impacto macroeconômico, esse setor também é essencial para a empregabilidade de parcela importante da população.

Além disso, a tecnologia aplicada aos cultivos de frutas e hortaliças representa uma característica importante. Nas culturas de mamão, melão e brócolis a adoção de tecnologia é de mais que 50%. E, ao considerar os cultivos em que a maior parte dos produtores tem perfil de alto ou médio uso de tecnologia, são destaque as culturas de abacate, limão, manga, maçã e morango. Entre as hortaliças, cebola, pimentão e tomate.

ADAB PUBLICA REGULAMENTAÇÃO PARA AGROINDÚSTRIAS DE PEQUENO PORTE NA BAHIA

Estabelecimentos com área de produção útil de até 250 m² O regulamento técnico da agroindústria de pequeno porte foi publicado no Di...